Quatro municípios do Estado do Ceará com população acima de 200 mil serão beneficiados com recursos do Programa Crack é possível vencer, lançada hoje , 20, pela manhã na Assembleia Legislativa. São os municípios de Fortaleza, Maracanaú , Caucaia e Juazeiro do Norte, onde já existe um comitê gestor das drogas. Os municípios vão receber um carro e câmaras de monitoramento para fazer o trabalho de prevenção junto aos traficantes de drogas.
O programa envolve o governo federal,estadual e os municípios e foi lançado pela presidente Dilma em 2011, já estando presente em 118 municípios brasileiros.

A Assembleia Legislativa sediou, na manhã desta segunda-feira (20/01), reunião para discutir as ações do programa federal “Crack, é possível vencer” no Estado do Ceará. O evento aconteceu no auditório João Frederico Ferreira Gomes, anexo II da Casa, e reuniu parlamentares e autoridades de diversas áreas, como saúde, assistência social e segurança pública.

O presidente da Assembleia, deputado José Albuquerque (Pros), disse que o Legislativo Estadual estava não só sediando o evento, mas participando dessa ação juntamente com os governos Federal, Estadual e municipais contra o avanço do crack no Ceará. “É claro que é possível vencer o crack. É possível fazer um grande trabalho. A Assembleia não poderia ficar omissa diante de um problema tão sério. Junto com os demais poderes, câmaras municipais, prefeitos e sociedade organizada vamos enfrentar essa droga que está matando nossos jovens. Não podemos permanecer calados diante dessa matança; são jovens matando outros jovens por causa da droga”, afirmou.

O presidente informou que, no próximo dia 31 de janeiro, o Poder Legislativo lança a sua nova campanha “Ceará sem Drogas”. Segundo o parlamentar, a Casa vai percorrer todo o Estado realizando palestras e discutindo com toda a sociedade a problemática.

A assessora especial de Políticas sobre Drogas do Estado, Socorro França, enalteceu o empenho e o engajamento do governador Cid Gomes, que vem sendo “um verdadeiro estadista através de suas ações”. Para Socorro, é possível vencer o crack, desde que haja um trabalho efetivo e com seriedade. Ela garantiu que a rede psicossocial do Estado está sendo toda montada. “Nós já estamos em execução para fazer a Caps-ad 24 horas, Caps-ad infantil e unidades de acolhimento para construirmos leitos hospitalares”, citou.

O secretário de Gestão Estratégica e Participativa do Ministério da Saúde, Luiz Odorico Monteiro, frisou a complexidade da questão que envolve as drogas ilícitas. “É algo mais complexo das políticas públicas. Temos que ter muita humildade no enfretamento”, endossou. O secretário de Saúde de Fortaleza, Ciro Gomes, chamou atenção para a generalização e o barateamento da droga e defendeu “severidade no enfrentamento dessa doença social”.

Na ocasião, foi apresentado o programa que tem como objetivo aumentar a oferta de tratamento de saúde e atenção aos usuários drogas, enfrentar o tráfico e as organizações criminosas e ampliar atividades de prevenção. A reunião prossegue à tarde, com gestores e técnicos municipais.

Entre os presentes estavam o secretário de Segurança Pública e Defesa Social, Servilho Silva de Paiva; a gestora da Coordenadoria de Políticas Sobre Drogas do Município de Fortaleza, Juliana Sena; a secretária de Saúde de Fortaleza, Socorro Martins; a secretária Nacional de Assistência Social do Ministério de Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Telma Maranho; a secretária de Atenção à Saúde do Ministério da Saúde, Leda Lúcia Couto de Vasconcelos; a representante da Casa Civil da Presidência da República, Maria do Socorro Tabosa; a promotora de Justiça de Defesa da Saúde Pública do Estado, Isabel Porto, as deputadas Bethrose (PRP) e Fernanda Pessoa(PR), entre outras autoridades.