Em pronunciamento realizado hoje (17/4), o vereador Acrísio Sena (PT) lembrou que, em 2018, o Sistema Único de Saúde completa 30 anos e lamentou a concentração de médicos da região Sudeste, em detrimento das demais regiões do país. “O SUS é uma conquista democrática, um dos maiores planos de saúde públicos do mundo, que universalizou de fato o acesso aos serviços pela população, mesmo com suas dificuldades”, ressaltou.

Ele lembrou ainda de iniciativas do SUS de grande qualidade, tais como as campanhas de vacinação, transplantes, controle da AIDS (referência mundial), saúde mental e bucal, além de operações de média e alta complexidade, que chegam a mais de dois bilhões de intervenções por ano. “O Brasil foi o segundo do mundo em número de transplantes renais em 2016. No mesmo ano, houve 357 transplantes cardíacos, 1.880 de fígado e 2.362 de medula óssea”, exaltou.

Segundo o documento Demografia Médica no Brasil 2018, porém, há uma desigualdade na distribuição de médicos. O Sudeste possui 244 mil médicos (54%) para atender uma população de 86 milhões de habitantes. As demais regiões têm 207 mil profissionais para atender 121 milhões de pessoas. “Chama atenção outro dado: o ensino privado responde hoje pela formação de 70% dos graduados em Medicina, a preços caríssimos. É um ensino para as classes média e rica”, mostrou o parlamentar.