46bc70ea-0354-4501-bb89-de0dd526bf88Matéria publicada nesta segunda-feira (11) no The Wall Street Journal, fala que o Brasil está sendo golpeado por uma profunda recessão, uma crise política e a epidemia do vírus zika, mas numa área o país continua sendo uma potência mundial: a agricultura.

Segundo a reportagem, em 2016, o Brasil deve registrar uma safra recorde de soja e uma quase recorde de milho, segundo projeções da Companhia Nacional de Abastecimento, a CONAB, divulgadas na semana passada. Os produtores brasileiros também parecem prontos para alcançar safras recorde de café e cana-de-açúcar em 2016, enquanto os criadores de gado, frango e porco anteveem novos aumentos nas exportações.

O jornal americano analisa que as abundantes colheitas e os numerosos rebanhos são um raro ponto positivo na economia brasileira, que em 2015 apresentou sua maior contração nos últimos 35 anos e deve encolher mais 3,7% em 2016. A agricultura foi o único setor do Brasil que se expandiu no ano passado, em 1,8%, ao passo que o produto interno bruto recuou 3,8%.

“O mundo todo tem que comer e o Brasil está se sustentando com a agricultura”, diz Edimilson Calegari, gerente-geral da Cooperativa dos Cafeicultores de São Gabriel, a Cooabriel, no Espírito Santo. “Nossas lavouras e fazendas de gado são o que mantiveram a economia funcionando durante esses três anos ruins.”

A forte desvalorização do real no ano passado — 30% em relação ao dólar — deu impulso às exportações e mais do que compensou a queda nos preços das commodities. Isso ajudou a aumentar as reservas em moeda estrangeira e a reduzir o déficit em conta corrente do Brasil.