Com as 22 policlínicas, 19 CEOs, 3 hospitais regionais e as UPAs, o governo do Estado amplia e facilita o acesso da população aos serviços de saúde.
O governo do Estado está concluindo a mais completa rede de assistência à saúde do país. São 22 policlínicas para ampliar o acesso aos especialistas e a exames complexos, 19 Centros de Especialidades Odontológicas com serviços em saúde bucal, 3 hospitais regionais e ainda as Unidades de Pronto Atendimento

(UPAs 24 horas)

Somente nos últimos quatro meses, período da gestão do secretário Ciro Gomes na Secretaria da Saúde do Estado, foram entregues à população 9 UPAs 24 horas no Conjunto Ceará – em Fortaleza, Pentecoste, São Benedito, Pecém – em São Gonçalo do Amarante, Eusébio, Crateús, Canindé, Horizonte e Tauá. Nesta quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014, em Aracoiaba, na Serra de Baturité, será a 10º inaugurada na gestão do secretário Ciro Gomes. Nos quatro meses de Ciro Gomes na saúde do Estado também foi acelerado o ritmo das inaugurações das policlínicas. Foram sete policlínicas inauguradas, em Caucaia, Russas, Tianguá, Icó, Quixadá, Iguatu e Bartablha, além das inaugurações de três Centros de Especialidades Odontológicas regionais, em Maracanaú, Icó e Quixeramobim.

19 CEOs regionais, mais saúde bucal

A rede de 18 CEOs regionais projetados pelo governo do Estado no início do governo Cid Gomes já foi concluída e entregue à população em Ubajara, Baturité, Acaraú, Camocim, Russas, Crato, Juazeiro do Norte, Brejo Santo, Itapipoca, Canindé, Cascavel, Sobral e Maracanaú. Mas no ano passado, foi acrescido ao projeto inicial de expansão e melhoria da saúde o 19º CEO, em em Campos Sales, no Cariri Oeste, com as obras a iniciar. Nos CEOs regionais os moradores
têm acesso, perto de casa, a serviços especializados em ortodontia, exodontia, periodontia, próteses. As pessoas com necessidades especiais recebem atendimento em estrutura adequada e profissionais especializados. Nos CEOs são realizados exames complexos, como a panorâmica digital por meio de equipamentos modernos.

22 policlínicas regionais, mais acesso aos especialistas e a exames

Da rede de 22 policlínicas projetadas pelo governo Cid Gomes já foram inauguradas e estão atendendo a população em Tauá, Camocim, Baturité, Itapipoca, Aracati, Brejo Santo, Acaraú, Pacajus, Sobral, Campos Sales, Icó, Quixadá, Iguatu, Tianguá, Caucaia, Barbalha, Russas. Nas policlínicas a população passou a ter médicos especialistas na própria região, sem necessidade de deslocamento para a capital, e ainda a exames complexos, como tomografia, eletroencefalograma, mamografia, eletrocardiograma. Há 5 policlínicas regionais sendo concluídas em Limoeiro do Norte, Crateús, Canindé, Maracanaú e Crato.

UPAs 24h, mais acesso aos serviços de urgência e emergência

Com a Unidade de Pronto Atendimento (UPA 24 horas) que será inaugurada nesta quarta-feira, 5 de janeiro de 2014, pelo governador do Estado, Cid Gomes, e o secretário da saúde do Estado, Ciro Gomes, aumenta para 17 o número de unidades entregues à população do Ceará. Desse total, 6 UPAs 24h ficam na capital, nos bairros Praia do Futuro, Autran Nunes, Messejana, Canindezinho, Conjunto José Wálter e Conjunto Ceará. As outras 10 já inauguradas em em pleno funcionamento ficam em Maranguape, Caucaia, Eusébio, Horizonte, Tauá, Crateús, São Benedito, Pecém, Canindé, Pentecoste. Há outras cinco em conclusão para serem entregues à população em Juazeiro do Norte, Iguatu, Quixadá, Russas e Aracati. Nas UPAs os moradores passaram a receber atendimento em casos de urgência e emergência dia e noite, até de madrugada e feriados. Não fecham nunca. Além de atendimento de médicos especialistas em clínica geral e pediatria, os moradores realizam exames laboratoriais e raio x.

Hospitais regionais, assistência mais perto de casa

A assistência hospitalar, em alta complexidade, passou a ser descentralizada no Ceará. Antes do governo Cid Gomes, em todo a história do Ceará, nunca havia sido construído no interior nenhum hospital da rede pública estadual. Hoje há dois novos hospitais do governo do Estado atendendo à população em duas macrorregiões do Ceará: o Hospital Regional do Cariri (HRC) e o Hospital Regional Norte (HRN). O HRC fica em Juazeiro do Norte, mas como hospital regional, atende desde 2011 a população de 1, 4 milhão de habitantes dos 45 municípios da macrorregião do Cariri. O HRN, fica em Sobral, e atende desde 2013 a população de 1,5 milhão de habitantes dos 55 municípios da macrorregião Norte. O governo do Estado está construindo em Quixeramobim mais um hospital regional. É o Hospital e Maternidade do Sertão Central.

Investimentos também na atenção básica

Além de investir na nova rede de assistência nos níveis secundário e terciário, o governo do Estado investe na atenção básica, em apoio aos municípios. Financiou, com recursos do Tesouro do Estado, a construção de 150 Unidades Básicas de Saúde em 150 municípios, valor total de R$26,6 milhões. Este ano o governador Cid Gomes já deu a boa notícia aos gestores municipais de que liberou mais R$25 milhões para a atenção básica, que serão utilizados na aquisição de equipamentos para as Unidades Básicas de Saúde.

Pagamento dos Agentes Comunitários de Saúde

Os Agentes Comunitários de Saúde surgiram no Ceará. O profissional de nível médio, cuidando da saúde das famílias, na visita casa a casa, nasceu em 1987 em municípios cearenses, sete anos antes do Programa Saúde da Família. Depois a experiência dos Agentes Comunitários de Saúde foi replicada em todo o Brasil.
Além do pioneirismo do profissional, o Ceará também saiu na frente na estadualização dos ACSs, acabando com a precarização do trabalho quando no dia 1º de maio de 2008 o governo do Estado incorporou 8.023 profissionais na folha de pagamento da Secretaria da Saúde do Estado. Antes, a relação de trabalho dos ACSs era através de contratos com associações, portanto precárias, e sofriam ameaças de perda do trabalho com as mudanças periódicas, a cada eleição dos gestores municipais. Por mês, o valor do pagamento mensal aos ACSs é de R$6 milhões. Cada ACS recebe no contracheque da Sesa, por mês, o salário bruto R$722,00.
Melhorias no HGF
Um conjunto de ações e obras está em implantação em todo o Ceará para ampliar e qualificar o acesso da população aos serviços públicos de saúde. Ao mesmo tempo em que constroi a mais completa rede de assistência, garantindo aos cearenses consultas com especialistas, realização de exames complexos e cirurgias nos novos hospitais macrorregionais, policlínicas, UPAs 24 horas e Centros de Especialidades Odontológicas regionais, o governo do Estado amplia e reforma a rede de assistência já existente na capital. Todos os oito hospitais da rede pública estadual, em Fortaleza, foram ampliados. Passaram a oferecer mais leitos aos pacientes e melhores condições de trabalho para os profissionais.
A maior ampliação de leitos ocorreu no Hospital Geral de Fortaleza. Eram 319 leitos em 2007. Com as obras de ampliação e reforma, o número de leitos do HGF aumentou para 525. Ciro Gomes ao assumir a Secretaria da Saúde no dia 12 de setembro de 2013 assumiu o compromisso de acabar com a área improvisada de internação de pacientes no HGF. Cumpriu o prometido. No dia 11 de dezembro não havia nenhum paciente em corredores e em áreas improvisadas. O secretário adotou diversas medidas e ações para acolhimento e atendimento de pacientes, como a contratação de leitos em hospitais da rede complementar e ampliação de unidades de internação na própria rede de hospitais do Estado. Fez isso no Hospital Waldemar Alcântara, que ganhou, depois de obras de ampliação e reforma, mais 60 leitos.
O Hospital Dr. Waldemar Alcântara, o único hospital no Ceará com certificado de acreditação nível II pela excelência em gestão e assistência do Instituto Qualisa de Gestão, de São Paulo, e retaguarda do HGF, foi o segundo em aumento no número de leitos durante o governo Cid Gomes. Tinha 241 leitos em 2007 e com a Unidade de 66 leitos inaugurada pelo governador do Estado, Cid Gomes, em 2009, subiu para 307 leitos. Com mais 60 leitos acrescidos na gestão Ciro Gomes o Waldemar Alcântara passou a ter 367 leitos.

Reforço na média complexidade dos 34 Hospitais Polos

Para reforçar a assistência na média complexidade, evitando transferências de pacientes do interior para a capital e assim desafogar o HGF, o número de Hospitais Polos foi ampliado para 32 em 2010. Este ano aumentou para 34 HPs, com repasse anual de R$70.980.000,00. A partir do último mês de novembro subiu para R$114.456.000,00 o valor anual para os 34 Hospitais Polos. Isso representa aumento de 61,25% do total repassado pelo governo do Estado todos os meses para que os Hps aumentem a capacidade e qualidade de atendimento lá mesmo nas regiões, nas especialidades da pediatria, gineco-obstetrícia, clínica geral e cirurgia.

Cirurgias eletivas: da capital para o HRN

A realização de cirurgias eletivas de alta complexidade no Hospital Regional Norte em pacientes que estavam na fila de espera do HGF também contribui com o HGF. No Hospital Regional Norte estão sendo feitas cirurgias de aneurismas cerebrais e arteriografias para diagnósticos precisos de doenças neurológicas em pacientes vindos da capital e dos municípios da macrorregião Norte. A capacidade de assistência, incluindo a qualificação dos profissionais, estrutura de UTI e tecnologia de ponta, colocam o Hospital Regional Norte no mesmo nível dos principais hospitais da capital. As cirurgias neurológicas são minimamente invasivas, através da introdução de um pequeno aparelho na virilha dos pacientes até a cabeça graças a moderna tecnologia utilizada. No HRN são 382 leitos. Há 30 leitos de UTI ( 10 para adultos, 10 pediátricos e 10 neonatais), além dos 30 berçários de médio risco.

Cirurgias eletivas: chamada pública

Para reduzir tempo de espera e sofrimento das pessoas que aguardam por cirurgias eletivas, aquelas que não são de urgência e emergência, o governo do Estado, em parceria com a Prefeitura Municipal de Fortaleza e apoio do governo federal lançou no último dia 8 de dezembro de 2013 uma chamada pública para que hospitais públicos, privados, conveniados,filantrópicos, credenciados ou não ao SUS, localizados no território cearense, ofereçam propostas para realização de cirurgias eletivas nas mais diferentes especialidades. As propostas já começaram a ser entregues na secretaria executiva da Secretaria da Saúde do Estado, na Avenida Almirante Barroso, 600, Praia de Iracema, Fortaleza. Devem ser entregues em até 15 dias, a contar do último dia 8. Para se ter um parâmetro, de janeiro de 2011 a setembro de 2013 foram realizadas 169.576 cirurgias eletivas no Estado, conforme dados do Datasus.