A paralisação das obras do Acquario Ceará e a possibilidade de novos custos para o Governo com a desapropriação de áreas no entorno geraram críticas e cobranças de esclarecimentos nesta quinta-feira, 19, na Assembleia Legislativa do Ceará. Os deputados Heitor Férrer (PDT) e Renato Roseno (PSol) apresentaram requerimento pedindo explicações à Secretaria do Turismo.

“O Governo paralisou uma obra que nunca deveria ter sido iniciada. Não sou a favor do Acquario, mas é minha obrigação buscar as informações”, disse Heitor Férrer. Em seu requerimento, ele solicita ao secretário de Turismo, Arialdo Pinho, esclarecimentos à Comissão de Fiscalização e Controle da Assembleia sobre a paralisação das obras.

LEIA TAMBÉM
Obras do Acquario Ceará são adiadas pela 3ª vez
Construção do Acquário já soma gastos de R$ 52,6 milhões
Acquario terá 500 espécies, sendo 20% do Ceará

Através da Secretaria do Turismo, o Governo do Estado suspendeu as obras do Acquario Ceará por 60 dias e a prorrogou, pela terceira vez, a entrega do equipamento. A obra que deveria ter sido entregue antes da Copa do Mundo de 2014 ficou agora para outubro de 2017. Essa é a quarta paralisação desde o início da construção do oceanário, em março de 2012, na Praia de Iracema.

“O Acquario foi um capricho do Governo anterior. Fazer uma obra faraônica dessa em época de seca é insano. Essa foi a maior obra hídrica do ex-governador Cid Gomes, que não pode dar uma gota de água a quem passa sede. É uma herança maldita que o governador Camilo Santana está pegando”, criticou Heitor.

O deputado Renato Roseno (PSol) também pediu explicações sobre a paralisação. O deputado Danniel Oliveira (PMDB) disse que a obra foi “atropelada” e “feita pela vontade do ex-governador”. Além disso, criticou a localização do Acquario que, para ele, “é inadequado para um equipamento daquele porte”.

Governo
Com a ausência do líder do governo, Evandro Leitão (PDT), o vice-líder Júlio César (PTN) rebateu as críticas da oposição. “Sabemos que é necessário empreender. O Acquario, o qual muitos foram a favor e hoje são contra, representa um impacto econômico muito grande para o nosso Estado, assim como o Centro de Eventos do Ceará. Esse empreendimento atrairá turistas de todo o Brasil e outros países, movimentando a nossa economia”, defendeu.

Júlio César frisou ainda que a paralisação por 60 dias tem o objetivo de analisar o andamento da construção, a relação com a empresa responsável e a situação dos funcionários.

O deputado Leonardo Pinheiro (PSD) também saiu em defesa da obra e disse que o Estado necessita diversificar a economia, gerando emprego e rensa por outras vias que não a agropecuária. O deputado Odilon Aguiar (Pros) criticou que algumas pessoas querem criar uma situação de embargo para algo que vai engrandecer o Ceará.

Redação O POVO OnlineAquário-Ceará