fabrica de vacinas eusebioApós quatro anos desde que o Governo do Estado oficializou a desapropriação na área destinada à sua implantação, a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) iniciou a instalação de sua fábrica de vacinas no município cearense de Eusébio. A instituição, vinculada ao Ministério da Saúde, é a primeira a constituir o que será o Polo Industrial e Tecnológico de Saúde. De acordo com a Agência de Desenvolvimento Econômico do Estado (Adece), o Instituto Bio-Manguinhos, outro a se integrar ao polo, terá suas obras licitadas ainda até o fim deste ano. Os investimentos com os dois empreendimentos estão previstos em R$ 310 milhões.

“Talvez esse seja o mais importante projeto estruturante para o Ceará no futuro”, afirmara o governador Cid Gomes em setembro passado, ao visitar a sede da Fiocruz, no Rio de Janeiro. A unidade em construção no Eusébio é a primeira da instituição – considerada a mais destacada na área de ciência e tecnologia em saúde da América Latina – fora do Rio de Janeiro.

A Fiocruz e o Bio-Manguinhos – este o maior produtor nacional de imunobiológicos – serão as empresas-âncoras do polo, no qual estão estruturando uma unidade de Pesquisa e Desenvolvimento e um Centro de Produção em Plataformas Vegetais, constituindo um novo campus com foco em inovação.

Parcerias

Para isso, já contam com a parceria de duas empresas internacionais: a americana Fraunhofer Center of Molecular Biotechnology e a israelense Protalix Biotherapeutics.

Localizado no bairro da Precabura, o polo de saúde ocupa uma área de aproximadamente 50,9 hectares, já desapropriada pelo Estado desde julho de 2009 e, em parte, doada à Fiocruz. “Encontra-se em fase de conclusão a desapropriação pelo Governo do Estado de uma área adicional de 22,4 hectares através do Decreto nº 30.955 destinada abrigar as instalações da Bio-Manguinhos, que deverá iniciar os preparativos da construção ainda este ano, para o qual conta com recursos orçamentários”, informou o presidente da Adece, Roberto Smith. O detalhamento do investimento de R$ 310 milhões nas duas instituições, contudo, não foi dado.

Para uma expansão futura do polo, o município de Eusébio instituiu uma Área para Equipamentos Especiais (AEE) de aproximadamente 80 hectares, na qual deverá se situar o Corredor de Servidão dos Sistemas de Infraestrutura projetados.

De acordo com Smith, os projetos de infraestrutura já estão “prontos ou sendo ultimados”. Estes incluem uma adutora de 21 quilômetros de extensão desde o Açude Gavião, que garantirá a disponibilidade hídrica para o complexo. Além disso, informa, uma nova via de acesso está em implantação, que funcionará como alternativa à Avenida Washington Soares.
Fonte: DN