MANAUS 12/04/2009 - ECONOMIA - CRISE AFETA TURISMO NOS MUNICÍPIOS DE RIO PRETO DA EVA E PRESIDENTE FIGUEIREDO, DE ACORDO COM  DONOS DE CAFÉS REGIONAIS  E RESTAURANTES DOS DOIS MUNICÍPIOS, A QUEDA NO FATURAMENTO E NA FREQUÊNCIA DE CLIENTES ESTÁ ENTRE 30 E 40 POR CENT0, NA FOTO,  VISITANTES  NA CORREDEIRA DO URUBUÍ NO MUNICÍPIO DE PRESIDENTE FIGUEIREDO. COMERCIANTES AFIRMAM QUE O FATURAMENTO E O NÚMERO DE VISITANTES CAIU NO MUNICÍPIO. FOTO EVANDRO SEIXAS/ACRITICA

MANAUS 12/04/2009 – ECONOMIA – CRISE AFETA TURISMO NOS MUNICÍPIOS DE RIO PRETO DA EVA E PRESIDENTE FIGUEIREDO, DE ACORDO COM DONOS DE CAFÉS REGIONAIS E RESTAURANTES DOS DOIS MUNICÍPIOS, A QUEDA NO FATURAMENTO E NA FREQUÊNCIA DE CLIENTES ESTÁ ENTRE 30 E 40 POR CENT0, NA FOTO, VISITANTES NA CORREDEIRA DO URUBUÍ NO MUNICÍPIO DE PRESIDENTE FIGUEIREDO. COMERCIANTES AFIRMAM QUE O FATURAMENTO E O NÚMERO DE VISITANTES CAIU NO MUNICÍPIO. FOTO EVANDRO SEIXAS/ACRITICA

Com a fiscalização falha na maioria das cidades, empresários de Curitiba desenvolvem sistema exclusivo na América Latina que impulsiona em 800% o número de vistorias de imóveis

Ter maior independência do Fundo de Participação dos Municípios e um fluxo de arrecadação mais estável. Após três meses da contratação do Phase View, um município de 10 mil habitantes pode ver seu faturamento com o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) aumentar em 300% em relação ao investimento de R$40 mil feito para adquirir relatórios detalhados do território.

A estimativa é um valor irrisório se comparado ao que Prefeituras gastam para ter uma planta georreferenciada, por exemplo. É o que garantem os empresários Raphael Carvalho, Filipe Daros e Gregório Han, proprietários da Guinefort, empresa com sede em Curitiba.

O Phase View funciona como uma vistoria online, utilizando-se tanto da base de dados do município ou com imagens de satélite, adquiridas também com uma empresa curitibana e homologada pela Anatel.

Na maioria dos casos, segundo Raphael Carvalho, geralmente são mescladas as duas fontes e, a partir daí, o sistema apresenta de forma clara a real a situação que será, na prática, convertida em ganhos para os cofres municipais. “Percebemos que o processo de fiscalização é muito lento e então resolvemos criar essa ferramenta para potencializar a atividade†, conta o empresário, acrescentando que o gasto médio para adotar a ferramenta fica entre R$5 e R$10 por lote ou imóvel.

A plataforma foi lançada oficialmente para gestores durante o I Fórum Regional de Cidades Digitais da Região Metropolitana de Curitiba, ocorrido no último dia 25 na capital paranaense. Mas ideia, conforme explica o empresário e analista de sistemas, surgiu em 2009. De lá para cá, o desenvolvimento ganhou corpo e está em processo de implantação em municípios do Paraná. “Não demanda instalação de infraestrutura e o município utiliza por meio da base online ou descarregada no servidor do município o conteúdo pronto. Qualquer tamanho de município pode fazer isso, coisa que com a aerofotometria é bem mais complicado†, observa.

Como se trata de uma verificação visual, acrescenta ele, o Phase View não demanda a função de um engenheiro ou outro profissional do gênero como no georreferenciamento. “Uma imagem mostrando o quanto tem de área construída e o quanto que deveria ter. É só confirmar essa detecção e pronto†, explica. “Ele é bem isonômico em que afeta todo mundo, mas o processo de validação dessa vistoria é feita pelo agente da prefeitura. Por isso aumentar em 800% o processo de vistoria é bem conservador por que vai se conseguir confirmar muito mais†, completa.

Contratação – Após a finalização do processo licitatório, em cerca de dois a três meses o município começa a receber os primeiros materiais mais completos. “Na primeira semana após a licitação a gente já entrega todo o relatório de piscina. O segundo são áreas verdes. São algoritmos e técnicas bem mais rápidas. E já faz o treinamento de toda a plataforma de como usar†, diz.

De acordo com o diretor da Guinefort, além das piscinas o Phase View detecta novas construções, aumento de área construída, remoção de área de permeabilidade e árvores removidas. “Piscina, principalmente nos municípios do interior, não é dado muita importância, mas, além de ser uma área construída, ela impacta em questão de área pluvial. Quando a pessoa esgota a piscina são milhões de litros que são jogados e se uma manilha não comporta isso estoura todo o sistema†, alerta sobre possíveis transtornos sem o controle.

Carvalho utiliza a capital paranaense como exemplo. Uma piscina resulta na faixa de IPTU em que determinada casa se encaixa entre A, B ou C. “Em Curitiba uma piscina pode impactar em quase R$1 mil ao ano. Nos municípios que têm legislação para isso, só em piscina se recupera o valor investido (no Phase View)†, argumenta ele, em referência ao valor multiplicado pelo número de piscinas existentes em um município de pequeno porte, aqui hipoteticamente exemplificado por 40 piscinas.

O pioneirismo dos empresários da Guinefort vai além das fronteiras. O Phase View é a única ferramenta do gênero na América Latina. “Tem só no EUA e Canadá, só que em aerofotometria. Em Curitiba acho que o custo passou de R$4 milhões (com aerofotometria) e até hoje eles não conseguiram terminar o processo de análise e reaver o investimento. Mesmo Curitiba, que é um município de grande porte, não conseguiu fazer o uso para esse fim (arrecadação de IPTU)†, analisa o empresário.

BNDES – Além das imagens de satélites custarem 40 vezes menos que as feitas com aerofotometria e o custo final ser acessível aos cofres públicos, Carvalho ressalta que a atualmente a empresa trabalha para formatar o Phase View como um dos itens passíveis de financiamento pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), abrindo mais uma alternativa e oportunidade para municípios usufruírem do recurso.

Raphael Carvalho também comenta sobre a segurança do sistema e o principal: todas as informações adquiridas ficam com a Prefeitura, podendo-se valer delas para futuras atualizações do território por meio do Phase View. “Toda segurança é idêntica a de banco, em matéria de acessos. Tudo que é feito pelo fiscal é auditado, fica salvo no banco de dados, e entregamos fisicamente isso. A plataforma fica disponível por um ano após a aquisição e fisicamente a Prefeitura recebe todos os relatórios†.

Informações sobre o Phase View podem ser obtidas pelo (41) 3152 6230 ou pelo e-mail raphael.carvalho@guinefort.com.br. O site (em construção) é o http://www.phaseview.com.br/.

Sobre a Guinefort
A empresa faz parte do Grupo GT3, que conta com 15 anos de experiência em inovação e Tecnologia da Informação e Comunicação. A Guinefort atua no desenvolvimento de soluções tecnológicas para melhoria de processos e aumento da eficiência no segmento público e privado.