Ontem foi um dia em que as cabeças dos três maiores partidos da aliança governista no Ceará só pensaram na eleição de outubro. Enquanto Rui Falcão, presidente nacional do PT, e o governador Cid Gomes (Pros) se reuniam em Fortaleza para discutir as perspectivas políticas locais, o senador Eunício Oliveira (PMDB) iniciava agenda pelo Interior para alardear sua pré-candidatura ao Palácio da Abolição.

Rui, Cid, o deputado federal José Guimarães, vice-presidente nacional do PT, e o dirigente estadual do partido, Francisco de Assis Diniz, passaram duas horas juntos ontem à noite no Palácio da Abolição. Depois do encontro, questionado pelo O POVO se apoiaria Eunício como candidato à sua sucessão, Cid respondeu: “Qualquer pessoa desse arco de aliança pode ser apoiado, sem nenhum problema. Só acho que não é o tempo agora de a gente tratar disso”.

Também sobre Eunício, Rui Falcão disse que o respeita, “mas ainda não temos definição da tática eleitoral do PT no Estado”. O dirigente petista repetiu sua pregação de unidade do bloco partidário. “Nossa melhor intenção é que todos estivéssemos juntos no mesmo barco. Vamos trabalhar por isso”.

Candidatura na rua

Eunício Oliveira chegou ontem ao Ceará após período de férias nos Estados Unidos. De acordo com a assessoria de imprensa do senador, ele iniciou “a caminhada para viabilizar sua candidatura ao Governo do Estado”.

A agenda começou pelo Cariri, onde Eunício se reuniu com prefeitos de vários municípios da região. Também estava programada para ontem à noite sua participação na solenidade de formatura de alunos da Faculdade de Medicina de Juazeiro, como patrono da turma.

Na manhã desta sexta, 17, o senador participa em Fortaleza de audiências com prefeitos e vereadores da Capital e do Interior, segundo a assessoria. À noite, Eunício comparece à inauguração de agências do INSS no Sertão Central, ao lado do ministro da Previdência Social, Garibaldi Alves (PMDB).

Como disse em dezembro o presidente em exercício do PMDB, Valdir Raupp, Eunício terá “todo o apoio” do partido para se candidatar ao governo. Em janeiro, ele reiterou: Eunício será candidato mesmo sem o apoio do Pros e do PT.

Indagado ontem sobre as declarações de Raupp, Cid Gomes disse que não comentaria o que dirigentes de outros partidos dizem. O governador limitou-se a afirmar que “nomes nós vamos definir mais na frente”.

Saiba mais

A passagem de Rui Falcão pelo Ceará fez parte dos esforços do PT para conciliar interesses eleitorais divergentes entre partidos aliados em pelo menos cinco estados.

Aqui, o PT terá que resolver a equação: Eunício, presidente do PMDB no Ceará, quer ser candidato ao governo, enquanto Cid, que mudou de partido em outubro para apoiar a reeleição de Dilma Rousseff, prefere indicar um nome do Pros para a sucessão estadual.

Cid tinha férias nos Estados Unidos marcadas para a segunda quinzena deste mês. Ontem, dia em que Eunício voltou dos EUA direto para agenda no interior como pré-candidato, Cid disse ao O POVO que cancelou as férias.

Fonte: Jornal O Povo