A previsão dos apicultores é que a safra do mel do Ceará em 2018, apresente uma produção de mais de mil toneladas de mel, que correm o risco de não serem comercializados para exportação, que hoje adquire 90% da produção, devido a queda de preço de R$12,00 o kilo para R$7,00. Hoje, o Estado possui cerca de 15 mil apicultores, que estão em 155 municípios.

Gustavo Nadeu Bijos, Médico Veterinário, Apicultor há 20 anos, Consultor/Instrutor de Apicultura e Meliponicultura e um dos responsáveis por transformar a Apicultura do Mato Grosso do Sul em referência nacional em produtividade de mel, a professora doutora Conceição Liberato Tavares, da Universidade Estadual do Ceará, a Dra Generosa Sousa Ribeiro,bióloga, mestre em Agronomia, Doutora em Ciências Agrárias, coordenadora do setor de Meliponicultura na Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia- UESB- que ministra palestra sobre Beneficiamento do mel e do própolis de abelhas sem ferrão, serão alguns dos palestrantes convidados pela coordenação do segmento de apicultura que estarão presentes no PECNORDESTE.

A mesa redonda sobre a Realidade e Perspectivas do mercado do mel, terá três palestrantes com bastante vivência no mercado do mel, o presidente da Confederação Brasileira de Apicultura- CBA, José Soares de Aragão Brito, que também é economista com pós-graduação em apicultura, apicultor e produtor de pólen no Estado do Sergipe; Francisco Humberto Pinto Junior, Diretor da Floema -Néctar Floral Entreposto e Agenor Sartori Castagna – Presidente da Abemel- Associação Brasileira dos Exportadores de Mel, diretor proprietário das empresas Miramel ,Agroapis e Casa Castagna e como presidente de mesa Vinicius Araújo de Carvalho , que há vários anos coordena o setor de apicultura no PECNORDESTE.

Vinicius Araújo também coordena a Câmara Setorial do Mel junto a Agência de Desenvolvimento do Estado como representante da FAEC, juntamente com o produtor Guido Alves Dias, sendo ainda representante da Câmara Setorial do MAPA. Segundo ele, continua a luta para concretizar a parceria com o Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Ceará para ajudar na captura de enxames de abelhas em Fortaleza e região metropolitana .O objetivo é que o bombeiro ao localizar o enxame na cidade e capturá-lo devolva ao apicultor do campo.São cerca de 2 mil enxames por ano.