A convite do Conselho de Altos Estudos da Assembleia Legislativa do estado do Ceará, a Coordenadora do Projeto Biomas junto à CNA, Claudia Rabello e o pesquisador da EMBRAPA, Felipe Ribeiro, participaram no último dia 20/O6 como palestrantes da II Conferência da Caatinga , dentro do Eixo Temático Agropecuário com o Tema : ” Adequação Ambiental das Propriedades Rurais na Caatinga ” – Projeto Biomas.

Com o tema Desenvolvimento Humano e Sustentabilidade, o evento acontece até o dia 21 de junho em diversos ambientes da Assembleia. As sessões temáticas foram divididas nos eixos Meio Ambiente, Segurança Hídrica, Agropecuária e Desenvolvimento Econômico Social .A programação conta também com palestras, apresentação de experiências com o Bioma. e ainda, uma Feira dos Saberes e das Culturas da caatinga .

Claúdia disse que a grande contribuição do Projeto Biomas é a adequação ambiental das propriedades rurais, que estão sendo difundidas para contribuir com os Programas de Regularização Ambiental (PRA) estaduais. “Com isso, pretendemos abrir oportunidades para também contribuir com essa discussão nos estados do bioma Caatinga. Acreditamos que com estratégias viáveis técnica e economicamente, estaremos contribuindo com a sustentabilidade da Caatinga”, disse Cláudia Rabello. Ela informou ainda, que o próximo passo é a transferência das tecnologias e que será utilizada a capilaridade do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural – SENAR, nos diversos estados , para capacitar os produtores nos resultados dos projetos.

SOBRE O PROJETO BIOMAS

O Projeto Biomas tem como objetivo geral viabilizar soluções técnico-científicas para a proteção e o uso sustentável de paisagens rurais nos diferentes biomas brasileiros, com ênfase no uso do componentes arbóreos em Áreas de Preservação Permanente e seus entornos, Áreas de Sistemas Produtivos e Áreas de Reservas Legais, definidos pelo Còdigo Florestal. De acordo com a coordenadora do projeto, Cláudia Rabello, ambas as instituições estão empenhadas em promover o desenvolvimento rural sustentável, bem como uma maior harmonia entre os sistemas de produção e os de preservação, o que justificou a parceria, em 2010, da qual resultou o Projeto Biomas.

No caso da Caatinga, a área de pesquisa do projeto, iniciado em 2012, está instalada na Fazenda Triunfo, no município de Ibaretama (CE). O Projeto Bioma Caatinga conta com: 86 pesquisadores de 14 instituições ; 17 projetos ; 5 mil árvores plantadas de 37 espécies. “Há estimativas de que, ao final do projeto, 19,5 mil árvores terão sido plantadas no âmbito dos 17 projetos de pesquisa”.

Os pesquisadores já distribuíram 12 mil mudas com as comunidades de Quixadá , Quixeramobim, Banabuiu,Ibicuitinga, Ocara e Ibaretama . Através de uma parceria com o Instituto Federal de Educação de Quixada -IFCE, foi instalado um viveiro de mudas.

A vinda do projeto de pesquisa do Bioma Caaatinga para o Ceará, se deve aos esforços da Federação Agricultura e Pecuária do Estado do Ceará, FAEC, que através do seu presidente Flávio Saboya, conseguiu convencer os demais estados que entraram na disputa, através de uma justificativa técnica, já que o estado do Ceará ocupa 99% do território da caatinga .Ele conseguiu ainda, a cessão de uma propriedade no município de Ibaretama, onde foi instalado também pela FAEC e pelo Sindicato Rural de Ibaretama, com o apoio do Banco do Nordeste, um projeto piloto de dessalinização de água de um poço profundo, movido a energia solar.