download
Pense num tribunal que vem esgotando todos os seus espaços na atuação em favor de uma melhor qualidade administrativa. É importante ressaltar, tem gente que não conhece e por isso não sabe, às vezes revelam impropérios, mentiras, nada haver, mas, o Tribunal de Contas dos Municípios tem hoje um dos melhores quadros de técnicos especializados e servidores, que ao lado de uma diretoria presente e conselheiros interessados em fazer o melhor – atuam na orientação, na qualificação e até em sugestões as mais importantes para um melhor desempenho no âmbito da gestão municipal. Agora mesmo, o TCM está pondo em prática uma campanha para estimular o uso moderado dos recursos utilizados em suas atividades rotineiras (ou seja, cortar na prole pele) – como água, energia elétrica, papel e copos descartáveis. São itens de utilização intensiva que terminam pesando no cômputo geral de custos. Com o mesmo propósito também deverão vigorar ações para contenção de outros gastos, incluindo combustível e passagens. Que bom, digo eu, veterano jornalista (com quase 40 anos no ofício e, com passagem pelos jornais O Povo, Tribuna do Ceará, Rádio Dragão do Mar de Fortaleza e Televisão Educativa), que bom, repito, se os nossos presidentes de câmaras municipais e prefeitos (as) fizessem o mesmo, respectivamente, nos poderes Legislativo e Executivo municipais! Já imaginaram a economia. Uma sugestão que parte do órgão fiscalizador! Bom demais para ser imitada ou seguida à risca, convenhamos. “A redução do consumo de água e energia é fundamental, especialmente neste momento, quando as fontes de abastecimento e produção enfrentam dificuldades, trazendo de quebra a elevação dos preços”, enfatiza o presidente Francisco Aguiar (foto). Que garante: “Esses são pontos de partida que iremos ampliando em várias direções”. É importante registrar, nos informa o setor de comunicação do TCM, à frente o conceituado jornalista Eunivaldo Pereira que “Em diversos ambientes internos da sede do órgão foram afixadas mensagens que alertam e orientam para cuidados que devem ser observados e que possam influir na produção dos resultados positivos pretendidos”.

E mais

A política de sustentabilidade que o TCM se dispôs a aplicar, além de focar aspectos de natureza econômica, pretende, igualmente, estabelecer referências didáticas que levem à participação de todos no esforço coletivo para melhor usufruto e gestão dos recursos disponíveis. O órgão já conta com uma estação de tratamento de esgoto (ETE) que, além de impedir a contaminação do lençol freático, possui mecanismo gerador de água de reuso, utilizada atualmente para irrigação das áreas verdes.

Licença ambiental

Francisco Antonio de Sousa Mota torna público que requereu à Secretaria de Meio Ambiente de Maracanaú (Semam) a Regularização da Licença Única para fabricação de máquinas e aparelhos de refrigeração e ventilação para uso industrial e comercial, peças e acessórios, localizada na Rua dos Coelhos, nº 06, Cidade Nova, Maracanaú-CE. A presente publicação é parte integrante do procedimento de Licenciamento Ambiental junto à Semam.

1 – As eleições municipais do próximo ano já começam a ser assunto nas praças do Ferreira e José de Alencar. O nosso repórter “andarilho” Wolker Gomes nos trouxe uma relação com cerca de onze nomes. Um verdadeiro time (e ainda com quatro reservas), que já são badalados como “pré-pré” candidatos à Prefeitura de Fortaleza. Além de Roberto Cláudio, que deve ir para a reeleição, são também comentados os nomes, por exemplo, de: Eunício Oliveira, Moroni Torgan, Luizianne Lins, Ronaldo Martins, Cabo Sabino (deputados federais), Heitor Férrer, Renato Roseno, Capitão Wagner, Pastor Durand, Carlos Matos, Elmano Freitas (deputados estaduais), Marcos Cals, Maria da Penha, Oscar Costa Filho e por aí vai, uma lista grande. 2 – E atenção, já surgiu nas duas praças mencionadas no tópico anterior, a especulação de que o ex-governador e agora também ex-ministro Cid Gomes, poderá transferir o seu domicílio eleitoral de Sobral para Fortaleza. Para que? Se precisarem dele estaria na capital. É muita conversa, convenhamos.

Fonte: O estado